Alimentação saudável ao envelhecer.

O organismo vai mudando e processa de forma diferente os alimentos. Por isso é preciso estar atento e não deixar faltar nutrientes.



Com mais idade as células se modificam e a absorção dos nutrientes ocorrem de forma diferente, ressalta a nutricionista Silvia Maria Franciscato Cozzolino, mestre e doutora em Ciências de Alimentos, Área de Nutrição Experimental da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.


Outra questão que exerce influência são medicamentos de uso crônico, por exemplo, para controle da glicemia. Ou seja, pessoas com Diabetes precisam estar atentas para averiguar a carência de Vitamina B12, salienta a nutricionista Gisele Leme. Aliás, diz ela, a falta de Vitamina B12 pode também ter relação com a doença de Alzheimer.

Veganos: fiquem atentos


Há vitaminas, por exemplo do grupo B, que são encontráveis em alimentos de origem animal. O que para quem adota dietas veganas pode representar, a médio e longo prazos, carências importantes que afetam o funcionamento do organismo.

As principais deficiências de nutrientes são medidas por exame de sangue. Como a Vitamina D, que mesmo num país tropical como o nosso, tem apresentado carência em muitas pessoas, de várias faixas etárias. Pois necessita do sol para o melhor processamento.


E a Vitamina D é fundamental após os 50, 60 anos, para manter ossos saudáveis. Afinal, em idades mais avançadas, a presença de Osteoporose é frequente, o que leva a alto índice de fraturas e complicações. "Importante sabermos também que a Vitamina D também tem íntima relação com a nossa imunidade", destaca Silvia Cozzolino.


Suplementação


Após os 50 anos uma consulta regular a nutricionista é importante para aferir os nutrientes. Principalmente porque é importante avaliar a alimentação do indivíduo e se pode haver necessidade de suplementação.


O zinco, por exemplo, vale destacar. A pessoa idosa que reclama que não sente muito sabor do alimentos pode estar com falta de zinco. Um dos alimentos mais ricos em zinco é a ostra, por exemplo.


Importante ter ingesta adequada de proteínas e minerais, por meio de alimentos ou se necessário recomendando algum tipo de suplementação.

Líquidos


O centro que regula o quanto o idoso precisa de líquidos se altera com a idade.

Muito necessário, portanto, lembrar de tomar líquidos em quantidade adequada no dia-a-dia. Definir a quantidade para cada pessoa depende do tipo de alimentação que você mantém durante as refeições. Pois vários alimentos também contém água. Mas, em média, um litro e meio de água, e o restante vindo pela alimentação.



Equilíbrio


Em termos de envelhecimento e cognição, o selênio é protetor, com capacidade antioxidante. Exemplo, castanha do Brasil é riquíssima em selênio.


O Selênio atua junto com a Vitamina E. Há trabalhos, inclusive, que mostra a relação do selênio na proteção de alguns tipos de câncer. Porém, como salienta a dra Silva Cozzolino, é importante regrar a quantidade. Isso porque excesso também pode ser prejudicial. O recomendável é a ingesta equilibrada dos nutrientes.



Inscreva-se e receba novidades

é um prazer ter você com a gente!

  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Instagram Ícone
  • Twitter
  • Facebook
  • Linkedin

© 2013 - 2020 by FazMuitoBem.

Faz Muito Bem - São Paulo - SP - contato@fazmuitobem.com